sábado, 13 de agosto de 2016


Acordo sem o contorno do teu rosto na minha almofada, sem o teu peito liso e claro como um dia de vento, e começo a erguer a madrugada apenas com as duas mãos que me deixaste, hesitante nos gestos, porque os meus olhos partiram nos teus.
Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim. Sou complexa, sou mistura, sou mulher com rosto de menina... E vice-versa. Perco-me, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar...Não me doo pela metade, não sou tua meio amiga, nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada.
Pelas frestas da minha alma sinto o sopro do meu eu.(Bandys)♥

9 comentários:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Ou tudo ou nada.
Se for para ser nada, que você se reinvente a cada instante. A cada vez que a vida te exigir uma reinvenção!!!!
Se for para ser tudo... que seja tudo. De corpo e alma. De coração e corpo.

Elisabete disse...

Pois o ser humano é complexo por natureza.
Lindo texto.
Bjs

Ana Bailune disse...

Belo texto, e gostei do novo visual do blog!
Bom dia e boa semana!

Mar Arável disse...

Há dias assim

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!
Passei para lhe desejar um excelente período de férias!
Saudações poéticas!

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, querida Bandy's!
Ninguém gosta de metades de nada... muito menos de amor...
Bjm muito fraterno

Andréa Santana disse...

Hello, minha linda!
Nada pela metade presta, imagina o amor. Rs...
Mais um belo texto, parabéns!

Beijinhos no seu ♥
Fique com Deus!
Andréa

Anjopoesia Anp disse...

Quando amamos a entrega tem que ser total, a cumplicidade sentida pekos dois, o amor tem que ser verdadeiro, na sensualidade a entrega relaxa como complemento desse grande amor, parabéns

Fábio Murilo disse...

Intensa. 8 ou 80, tudo ou nada. Beijos, Bandys.