domingo, 23 de julho de 2017


Nó na garganta
Nó na garganta
vazio no peito
mãos vazias, nuas
que andam nas ruas
sem encontrar.

Nó na garganta
vazio no peito
vontade de chorar
lágrimas que não
rolam no rosto,
brotam no coração
morrem na alma.

Nó na garganta
vazio no peito
injustiça no mundo
não sei explicar,
Choro, e não consigo parar.

Nó na garganta
vazio no peito
um grito de dor,
dor por não saberem
o que é o amor.

Então eu disse ao mundo no qual eu acreditava, 
que haveria de existir amor em todos os lugares.
 Nem que fosse apenas dentro de mim..(Bandys)♥

3 comentários:

Elisabete disse...

Um grito tocante! Adorei o poema.
Boa semana.

Maria Rodrigues disse...

Mas desse nó na garganta surgiu um poema maravilhoso.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, nó na garganta vazio nos lábios, seu dom poético é lindo, até parece fácil escrever assim como escreve.
Continuação de boa semana,
AG