segunda-feira, 21 de agosto de 2017


Trago nas mãos
pedaços de tempo
que vou enlaçando,
nos sentidos.
Vestindo,
a memória de lugares
num declive de luz.
A mente
recitando emoções
por vezes felizes
em outras tristes.
  O espírito, espalhado
de sentimentos
ancorando,
a existência
no calor
de um amor.

Peguei meus sorrisos futuros e alegrias pretendidas e as coloquei
num cantinho, bem arrumadinhas. São meus pedaços de tempo esperando brotar. (Bandys)

4 comentários:

Elisabete disse...

Os pedaços do tempo são as nossas memórias.
Linda composição poética.
Bjs

Jaya Magalhães disse...

São tantos pedaços de tempo formando cada um de nós, não? É uma composição infinita. No entanto, é sempre tempo de escolher o que vale a pena deixar brotar.

No futuro o tempo ainda é muito.

Você é uma querida. Às vezes sinto vontade de te dar um abraço, principalmente depois que leio seus comentários tão carinhosos por lá. Não tenho como agradecer.

Um beijo.

Ana Bailune disse...

Que eles brotem, floresçam e frutifiquem!

https://ana-bailune.blogspot.com

Mar Arável disse...

Tudo sempre pelo melhor
folha ante folha