sexta-feira, 2 de dezembro de 2016



Sou
Sou uma mistura de sentimentos...
Sou pedaços de céus com punhado de terra,
Sou oceano azul e o verde da montanha.
Às vezes estou muito perto outra sou deserto
Sou antídoto e sou veneno,
Às vezes sou presença e em outras sou ausência.
Sou inteira, sou metade, sou saudade.
Sou estrela e sou o breu
Às vezes sou você, mas também sou eu.
Sou sorriso e às vezes sou a lágrima
Sou essa mistura de sol ardente com trovoada.
Às vezes sou tudo, em outras nada.

...sou a sombra e sou a luz, sou o espinho e sou a flor, mas sempre sou uma estrela de amor!
(Bandys)

8 comentários:

Vieira Calado disse...

E é, na circunstância, o mais importante!

Bjsss!

Elisabete disse...

É tudo e bom!
Bjs

Wonder Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wonder Alves disse...



Queria ser lua;esperando anoitecer! servindo de inspiração para ti . arrancar tamanhos suspiros,desejos e pensamentos, que são expressos de forma tão profundas a revelar parte de ti!

Bj demorado e profundo nas entrelinhas do coração da minha poetisaespecial!

(Bandys)♥

Ariana Coimbra disse...

Você é luz a iluminar os seus leitores com seus fragmentos.

Beijos

Ana Bailune disse...

Poema delicado. Gostei dos punhados de terra.

Wonder Alves disse...

Voltei para reler seu texto. o qual permaneceu em meu pensamento obrigando-me a dizer-te...
Teu sedutor encanto de rubra flor, impregna minha alma de admiração. Pela magia e essência do amor, aflorando em meu ser, à inspiração.
Tu és a mais formosa flor do jardim, dos apaixonados, a agraciada. Eterna paixão de desejo sem fim, pétalas ao vento, és também alada.
Teu aroma nos está cantos do mundo, exalando além-mar, nos continentes, um suave perfume, sutil e fecundo.
Dádiva do criador, com certeza, que fez brotar em pequenas sementes,
uma doce flor, de tão rara beleza, carregada com tamanho dom de poetisa!
bj em seu coração bom dia!!

Ghost e Bindi disse...

Boa tarde querida Bandys!
Há muitos anos me pergunto quem eu sou. Quanto mais me pergunto, menos sei quem sou. O que penso que sou não é o que sou.(Augusto Cury)

Mesmo em constante mudança, há algo em nós que acho que permanece sempre igual, o cerne, o núcleo, aquele pedaço de nós que nada consegue perturbar, destruir ou anular. Em seus lindos poemas se percebe que vc sente o mesmo...tens em você a semente de todas as flores.
Um grande e carinhoso abraço!
B&G