sábado, 17 de junho de 2017


Queria escrever um poema,

despida de memórias

vestida de vida.

Do remanso das águas,


do amor e da dor

das mãos cheias de nada

Das casas desabitadas,


dos medos...dos segredos...da flor solicitada.

Queria tanto escrever um poema...que vestisse de luz a madrugada. 


E deixar a menina dos meus olhos, cirandar nos corredores da minha alma. (Bandys)♥

2 comentários:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, queria e conseguiu, escrever um ímpar e lindo poema, a madrugada ficou vestida e iluminada de luz brilhante.
Semana feliz,
AG

A Casa Madeira disse...

É são os corredores da alma.
Boa semana.