segunda-feira, 7 de maio de 2018



Silêncio


Acordei com o barulho da tua paz
Que gritava em mim o silêncio do teu amor.
Ouvi, li, reli e respondi. Em poesia te escrevi.
Meu sossego já trazia o dia pra silenciar o meu amor,
Pra matar tua saudade te acariciar com suavidade.
Amar-te em liberdade...Esperarmos a noite...
Egoisticamente nossa. Só nossa. Exclusivamente nossa.

Seduzir-te pela madrugada...
Fico calada. Faço-te morada só pra te sentir. Amo-te.
Faço do nosso prazer o silêncio do seu grito.
Conduzo-te pra minha alma, te faço dormir.
Sonhamos.

...nosso sonho se enriquece com a coragem do nosso amor! (Bandys)

6 comentários:

Daniel Costa disse...

Bandys
Comentários para quê? Se a beleza e suavidade do poema, como sempre me prendem. Fala o romantismo, atractivo que instigou a reler o bonito poema.
Beijos

Dan disse...

E é nesse silêncio apaixonado, onde se vivi fortes emoções! Muito lindo querida dá pra sentir essa intensidade. Abraços,

Dan
http://gagopoetico.blogspot.com.br/2018/05/cancao-da-paixao-solitaria.html

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Saudade daqui!!!
Bjins
CatiahoAlc.

Retalhos da Sol disse...

Coisas simples.
Um encontro.
Um abraço.
Um buquê de flores.
Um amor,
imperfeito.
Que em silêncio, floresça!

Sempre prazeroso te visytar.
Beyjos meus, enSOLarados.

Nataline disse...

Tão giro poema.

Já acompanho o seu blogue há muito tempo e hoje abri o meu próprio espaço onde postarei fotos tiradas por mim, poesias, prosas, mensagens e sentires do coração.
-
https://olharesedeslumbres.blogspot.pt/
-
Vou colocar o seu blogue no meu, esclarecendo que o retirarei de imediato caso assim me seja determinado

Obrigada

Elisabete disse...

Gostei da antítese logo de início: o barulho da paz.
Lindos versos.
Bjs