domingo, 5 de junho de 2016


Gente que chega
e se pega
Se apega
e vai embora.

Deixa no ar
Um cheiro doce
Um rosto forte.
A leve impressão
de ter saído
Pra voltar já.

Gente que chega
Expõe-se de corpo inteiro
Conta segredos pra gente,
Diz da vida ser um leigo
E se veste de preconceito.

Deixa um gosto
de saudade.
A sensação de amizade
Mostra a amarga realidade
Dolorida em corpo e mente
De gente que deixa a gente.

...pra essa gente que eu não posso viver sem o ar, 
sem o cheiro e sem a amizade.(Bandys)

6 comentários:

Fábio Murilo disse...

Entendo que essa historia de se apegar ou não, não depende da gente. Não dá pra se desfazer assim tão fácil de pessoas, de convivências, vivencias, laços, envolvimento, como se fosse algo, um objeto inanimado, um eletrodoméstico. Gente que nos cativa, que alisa nossa alma. Beijos, Bandys.

Bell disse...

Se eu pudesse escolher não me apegaria mais a ninguém.
Muita gente chega e parte... levando um pouco da gente.

bjokas =)

Elisabete disse...

Os verdadeiros amigos são eternos, os outros são conhecidos.
Bjs

Samuel Balbinot disse...

Bom dia querida Bandys..
uma colocação muito bela em versos..
e quantos já se foram..
feliz dos que com a gente ficam pq estes a gente leva para a vida toda.. bjs meus doce amiga

Sara com Cafe disse...

apego doi... demais. :(

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...

Lindos de sua poesia