quinta-feira, 3 de agosto de 2017


Arde em mim, o desejo de tocar-te com dedos de seda e flor. De adentrar teu silêncio e tua alma, profanando teus segredos, decifrando-os com a minha língua ávida, faminta dos teus sabores.
Arde em mim, o desejo de horas partilhadas, sede e fome saciadas.
Arde em mim, o desejo de buscar-te na noite em que te guardas, arredio, da minha palavra.
Porque começo onde termina o teu silêncio.
E termino onde cala a tua voz.
(M.Monteiro)

...respiro silêncios e encontro teu corpo e tua alma dentro de mim. (Bandys)


3 comentários:

Elisabete disse...

Uma prosa apaixonante.
Bom fim de semana.

mz disse...

Quase poesia.

Bj

Daniel Costa disse...

Muita sensibilidade, a que sempre notei por aqui, Bandys. A prosa poética é muito bem conseguida.
Beijos