sábado, 9 de setembro de 2017


Embriagam-me os beijos, os cheiros, os carinhos e os olhos.
Ouço os nossos soluços, os nossos silêncios gritantes.
A despedida desmedida em poesia, escrita em nossos
corpos e mentes... Grudadas em nossas retinas paralisadas,
mesmo distantes.

Encanto dos nossos corpos dançantes,
Sem querer separar-se.
Silêncios e soluços.. Nossos calmantes...
Apenas palavras soltas, cambaleantes.

O beijo silenciado, selando nossas lágrimas.
Ficamos assim, mudos, emocionados, abraçados..
A lua lá fora teimosamente brilhante
Encerra nossa noite errante..

..e sem licença, acertadamente, adormeço
nos braços teus, deliciosamente. (Bandys) ♥

5 comentários:

Elisabete disse...

Emana aqui uma paixão fogosa.
Lindo!
Bjs

Ghost e Bindi disse...

Boa tarde Bandys!
Desejamos a todos os que estão em meio aos flagelos força e coragem para perseverar...
Uma linda semana pra vc!

Maria Rodrigues disse...

Terno, apaixonado e belo poema.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Élys disse...

Um lindo poema pleno de paixão.
Um abraço. Élys.

Eros disse...

Beijo, Bandys!
Que os beijos sejam o melhor dos lugares.