domingo, 30 de outubro de 2016


Amo quando chega à madrugada,
ouço o som da noite das fadas das falhas...
Sento na lua, inquieta, apenas ouvindo a respiração da terra.
O pulsar do coração do mundo.
É um som misterioso, tem algo de enigmático...
É o som do universo, fazendo eco dentro de mim.
Som que me encanta, me instiga e me cala.
Que me faz perguntas
E não possuo respostas.
E continuo assim inquieta, quase sem respirar...
Esperando respostas que adormecem no meu colo.
O respirar da Terra,
é  som do silêncio, é o barulho do mundo.
(Bandys) ♥

6 comentários:

Mar Arável disse...

Por vezes é preciso saber "amar uma pedra"

Elisabete disse...

Lindo, lindo, lindo!
Bjs

Élys disse...

Um belíssimo poema. Muitas são as perguntas em quanto as respostas lentamente vão chegando.
Um abraço.
Élys.

Maria Rodrigues disse...

Um poema simplesmente maravilhoso, adorei!
Beijinhos
Maria

Ghost e Bindi disse...

Olá Bandys!
Esse encontro conosco mesmos e nosso silêncio é mágico. Mágico como seus versos, que dizem tanto de você, e também de todos nós, pois falas o que muitas vezes não é colocado em palavras pela maioria das pessoas.
Que o silêncio da noite te fale lindamente.

"Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos, nem sujeitos a ataques súbitos de levitação. O de que eles mais gostam é estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios. Um silêncio... Este impoluível silêncio em que escrevo e em que tu me lês."
Mario Quintana

Um beijão.

Fábio Murilo disse...

"... é o som do silencio, o barulho do mundo" Gostei. Beijos, Garota.