sexta-feira, 21 de outubro de 2016


Porque te amo, costuro a alma com amor nos trespasses de viés e fitas, nos cetins e arremates, bordando tramas de doçuras onde poderia se ler teu nome do avesso. As sedas da vida se fazem no escuro. Nos braços a memória do teu corpo me refaz mais pronta e mais inteira. Minha caixinha de guardados desde sempre tinha suas coisas. Espero vestida por tuas mãos o tempo de nos desnudarmos e nos vestirmos um do outro.
 ...meu amor se veste de você, e você de mim. (Bandys)

5 comentários:

Elisabete disse...

Que bela imagem, a de que nos vestimos do outro.
BJs

Primeira Pessoa disse...

veste e despe, o amor.

beijão,

r.

Daniel Costa disse...

Bandys
Bem bonita prosa poética, que amei.
Por favor veja e comente o post
Cidade de Fortaleza – Tratado deTaborda
http://amornaguerra.blogspot.pt/
BRASIL: SORRISO DE DEUS.

Bjs

Vieira Calado disse...

Um texto curto, mas significativo! Foi um prazer ter vindo aqui! Bjsss!

Ariana Coimbra disse...

Que lindo, a de se vestir do outro, se vestir de amor.

Beijo