quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

  

Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo.
(Pablo Neruda)

Nós somos lares uns para os outros.
(Bandys)♥

4 comentários:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, ler Pablo Neruda é sempre uma prazer, "as tuas raízes
atravessaram o meu peito" pode ser uma magoa ou uma felicidade.
Continuação de boa semana,
AG

Elisabete disse...

Versos amorosos!
Bjs

Samuel Balbinot disse...

Boa noite querida Bandys, nossas raízes emanam longes de nós muitas vezes, que as mesmas virem belas plantas para abrigar alguém, feliz noite doce amiga, bjs meus

Jaya Magalhães disse...

Não conhecia esse. Quando terminei a leitura pensei no amor de mãe e filho. Tudo corre junto. Tudo é uma coisa só. O amor vai sendo germinado até transbordar.

Bandys,

Feliz 2018!

Um beijo grande.