terça-feira, 24 de abril de 2018



Anjo incandescente. 
Se deixasses de escrever, meus olhos se apagariam.
É através da sua boca que eu vejo! É nas tuas palavras que o meu mundo gira em voltas suaves e em torno do nada em cima do tudo. Prenhe das esperanças que nele copulas.   Se deixasses de escrever, prosa ou poesia, nada mais existiria na minha alma semi  morta. Sem beijo e sem voz numa eterna agonia. Sou o anjo que te beija nas madrugadas derretendo suas lágrimas para que teus olhos adormeçam com luz, na chuvosa  escuridão.

E a gente vai por aí, se completando assim meio torto mesmo. E Deus escrevendo certo pelas nossas linhas que se não fossem tão tortas, não teriam se cruzado.(Bandys)

2 comentários:

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Belíssima prosa poética, querida! O que seria da vida sem poesia? A poesia ampara nossos sentimentos e faz sentimos melhor as vibrações de nossas almas que redundam em amor cuja medida é o amor sem medida, com diz o poeta. Parabéns e bom feriado! Grande abraço. Laerte.

SOLIDARIEDADE disse...

Correto, duas paralelas só se encontrariam no infinito. Bela conclusão.
Abraços.